Skip to content

25ª Casa de Criadores – Análise do último dia

maio 30, 2009
Gêmeas verão 2010

Chegou ao fim ontem mais uma edição da Casa de Criadores. No último dia, o grande destaque foi o desfile das Gêmeas, que apresentaram uma coleção super bonita, madura e bem acabada, inspirada no México.

Como elas bem tinham dito pra mim em entrevista, o México aparece na coleção de uma maneira bastante sutil, apenas nos bordados (e que bordados!) e nas rendas. A pegada continua sendo rock ‘n roll, com a cartela de cores predominantemente preta, mas também aparecem o branco e um verde piscina. Os vestidos, na sua grande maioria, são curtos, de cintura marcada e com saia ovo. As calças aparecem mais amplas e acima do tornozelo (já virou hit). Nos tecidos predominou a cambraia gel, que deu um efeito super bacana junto à renda e deixou a coleção com um ar mais moderno. Adorei também as flores enfeitando a roupa, que a primeira vista podem parecer um pouco brega, mas que na coleção ficou muito bonito e coerente. E aquela decoração do chão em total harmonia com as roupas? Adorei. Carolina e Isadora Krieger estão de parabéns, superaram totalmente minhas expectativas e deram um show de bom gosto.

O segundo desfile do dia foi o de Marcelu Ferraz, que se inspirou na obra surrealista da artista Leonor Fini para criar sua coleção intitulada New Navy. O estilista diz ter se inspirado especificamente em um quadro da pintora em que aparecem cubinhos num tom fluo. Bom, fora isso, a coleção realmente pouco tem que ver com Fini, trata-se mais de um mix mesmo entre o movimento New Rave, com suas cores vibrantes, e o estilo navy, como o próprio nome já diz. De qualquer forma, curti o trabalho de alfaiataria nos macacões, calças e shorts e os acessórios em resina. As blusas com decote em V, marca registrada de Marcelu, continuam firme e forte.

No Hay Banda verão 2010

O coletivo No Hay Banda veio com uma coleção super leve, delicada e com ótimo caimento. Inspiradas pelo tema “luz”, elas levaram para a passarela transparências em tecidos de seda, brincando com as teorias de refração, absorção e reflexão da luz. As meninas continuam com seu exercício de modelagem cheio de pequenos detalhes, teve muito drapeado, babados, plissados e boa alfaiataria. Meu look preferido foi o da calça azul clarinha, linda.

Tony Jr. se inspirou no trabalho de colagem do fotógrafo Carl Kleiner para criar sua coleção verão 2010. Para tanto, o estilista fez aplicações de pano semelhantes a colagens de papel bem coloridos nas peças. O trabalho pareceu meio desconexo e com pouca relação de proporção entre os pedaços de pano e o resto da roupa. Faltou mais rigidez na geometria e uma relação melhor também entre as cores.

Diva verão 2010

A Diva, de Andrea Ribeiro, trouxe pela primeira vez à passarela uma coleção masculina junto à feminina. Sua inspiração foram os personagens de papéis de carta, portanto imperou a fantasia, o romantismo e a delicadeza. Dessa vez, Andrea resolveu trabalhar com uma peça que parece duas ou mais, dando a impressão de que há várias camadas na roupa. A Diva valoriza o trabalho feito à mão, super rico, cheio de babados, rendas, drapeados, aplicações de laços, flores e pedrarias. Os looks dos meninos são uma extensão dos looks das meninas, sempre das mesma cores e dos mesmos tecidos, com destaque para as calças acima do tornozelo. Entre o meio e o final do desfile a cartela de cores vai ficando mais escura e vai predominando também a estética mais vintage, forte característica da Diva. Aparecem muitos vestidos com a cintura mais baixa, típica dos anos 20. Gracioso como sempre.

André Phergom se inspirou no livro o Caçador de Pipas para compor sua coleção verão 2010. Com isso, aparecem desenhos de pipa por tudo que é lado: aplicadas nas camisetas, estampadas nas calças e blusas e como detalhe nos bolsos. Um pouco óbvia demais e sem grandes inovações. Boa a utilização de tecidos brilhosos como tafetás e acetinados, mas ao mesmo tempo destoou um pouco do resto da coleção.

Walério Araújo verão 2010

Fechando a Casa de Criadores mais uma vez, Walério Araújo foi puro glamour. Um dos grandes méritos do estilista é não ter medo de errar e cometer excessos, Walério adora brilho, ousadia e muito bafo! Os metalizados, como ele bem havia dito, vieram com tudo. As peças são, no geral, curtas e cheias de aplicações de pedrarias, bordados e plissados. As estampas trompe-l’oeil, literalmente engana o olho, de nus femininos e masculinos que ele fotografou foram um espetáculo a parte. Além de tudo isso, Walério ainda colocou Viviane Orth para abrir o desfile e fez todo mundo dar risada com um vídeo de abertura da propaganda do azeite Andorinha, um de seus patrocinadores. Foi surreal e um sucesso.

Bom, assim como na edição passada, João Pimenta fez o melhor desfile. Mas, de uma forma geral, achei essa edição melhor, com alguns estilistas amadurecendo mais seus trabalhos e mostrando mais consistência. Claro que ainda há muita gente sem um estilo definido, mas é uma coisa natural de quem tá começando e a Casa de Criadores é o lugar certo para fazer experimentações e tentar desenvolver um bom trabalho.

Ah, e já deu pra perceber algumas tendências que vão vir forte no próximo verão, né?

*Todas as fotos são de Charles Naseh / Chic

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: